26 de junho de 2010

5 dicas para aproveitar sua inteligência e criatividade

Dilbert.com

Tradução: A satisfação dos funcionários dobrou desde o último ano (1% -> 2%) | O crédito vai para o nosso novo programa de demissão das pessoas inteligentes | Você está seguro. YEFF!!!

No artigo anterior, falei sobre o "Estágio House" do bom programador. Esse é o estágio em que bons programadores estão cansados de fazer trabalhos que subutilizem sua inteligência e criatividade e começam a buscar trabalhos mais desafiadores. Como continuação, apresento nesse artigo algumas sugestões do que programadores nesse estágio podem fazer para usar melhor sua inteligência e criatividade.

1 - Torne seus problemas interessantes

Se os mesmos trabalhos pouco desafiadores não saem da sua lista de atividades, você pode encontrar satisfação por automatizar a solução dos seus problemas. Isso pode significar criar bibliotecas, frameworks ou geradores de código. Ferramentas que automatizam tarefas repetitivas (não necessariamente de codificação) também podem ser ao mesmo tempo interessantes e úteis. Bem, se você está no estágio "House", é provável que já esteja fazendo quase tudo o que acabei de sugerir.

Algo que você talvez ainda não esteja fazendo é procurar resolver os problemas de formas que não necessariamente economizem o seu tempo, mas que te ensinem algo novo. Boa parte das suas descobertas significarão absolutamente nada para os seus superiores não-técnicos, mas certamente tornarão o seu trabalho mais interessante. Eventualmente você criará algo brilhante e sua empresa poderá tirar muito proveito disso. Aliás, você deve sempre procurar uma forma de aprender algo novo que resulte em benefícios para a empresa onde trabalha.

Uma palavra de cautela: muito cuidado para não prejudicar projetos com prazo curto e grande pressão com o seu desejo de experimentar algo novo. Dê preferência a fazer isso em projetos com certa "gordura" no prazo. Se você tem a felicidade de ser consultado sobre prazos, ocasionalmente pode experimentar acrescentar um pouco de "gordura" ao seu prazo para comportar um esforço adicional que gere novos conhecimentos.

2 - Proponha projetos interessantes

Fique atento aos problemas existente na sua própria empresa. Identifique um que possa ser resolvido através de software. É o tipo de software em que você se interessaria em trabalhar? Então rascunhe um projeto que resolva ou minimize esse problema e apresente para quem tem o poder de decidir investir nele. Se você conseguir passar confiança de que sabe como resolver o problema e que quer resolvê-lo, pode ser encarregado de cuidar pessoalmente desse projeto.

Há algo nos softwares desenvolvidos pela sua empresa que poderia ser melhor se fosse feito diferente? É o tipo de mudança que você gostaria de fazer? Então crie uma prova de conceito que valide a sua idéia e proponha a mudança.

Você tem uma ótima ideia de projeto na cabeça, mas não tem os recursos necessários para implementá-lo de forma independente? Acha que a sua empresa seria uma boa parceira de negócios? Proponha uma parceria.

3 - Crie seus próprios projetos interessantes

Paralelo ao seu emprego atual, de forma independente, há algo que você pode fazer. Robert Kiyosaki, no seu livro Pai Rico, Pai Pobre afirma que as oportunidades estão ao nosso redor o tempo todo. Para nós, que criamos software, isso é ainda mais verdadeiro. Esse mercado está em constante mudança e isso cria oportunidades novas a todo momento.

Em 2008, a Apple inaugurou a App Store, criando oportunidades para programadores independentes desenvolverem aplicativos para iPhone, iPod Touch e, mais recentemente, para iPad. Em 2009, a Google criou a Android Market - loja de aplicativos para dispositivos móveis com o sistema operacional Android. E no mês passado (19/05/2010), a Google anunciou a Chrome Web Store - sua loja de aplicativos na "nuvem".

Você provavelmente já possui algum conhecimento que te permita aproveitar a oportunidade de criar e vender software inteligente e criativo, seja num dos novos mercados que citei, seja em algum outro. Se te falta algum conhecimento, certamente é possível adquiri-lo. Muita informação é oferecida de graça ou com baixo custo na internet.

Se sua idéia fizer sucesso, você pode conseguir um dinheiro extra ou até transformar sua atividade paralela no seu principal negócio. Se, por outro lado, sua idéia não der tão certo, pelo menos você terá adquirido novos conhecimentos e habilidades que poderão ser úteis para você mesmo ou para alguma empresa em que você gostaria de trabalhar (além, é claro, de você ter se divertido no processo).

4 - Trabalhe em um projeto open source

Se você é muito bem remunerado para fazer seu trabalho pouco desafiador, talvez queira considerar a possibilidade de trabalhar em paralelo num projeto open source. Você pode criar um ou apoiar um existente que considere interessante. Sua recompensa imediata não virá em forma financeira, mas em forma de satisfação pessoal e prestígio dentro da comunidade que receber o seu apoio. Por outro lado, dependendo da reputação que você conquistar, oportunidades muito interessantes poderão bater à sua porta.

5 - Procure outro emprego

Se você não consegue fazer trabalhos que te deem satisfação no seu emprego atual e seu salário não é suficientemente alto para compensar isso, mudar de emprego é uma alternativa a considerar. Um problema que você provavelmente terá é encontrar um emprego que junte um trabalho interessante com uma boa remuneração. Mas, mudar de emprego para ganhar um salário menor pode ser vantajoso se o trabalho que você for realizar fizer bom uso da sua inteligêngia e criatividade. Se for numa empresa séria, em pouco tempo o seu talento será reconhecido e você poderá passar a ganhar mais do que no emprego anterior.

Um ponto muito importante é saber como procurar por um novo emprego. A melhor forma - para os realmente talentosos - tem se mostrado ser através de networking. Quanto maior e mais rico for o seu, melhores oportunidades você terá. Você pode aumentar o seu networking participando de grupos de discussão, Coding Dojo's, eventos de tecnologia, cursos e, finalmente, participando de projetos open source.

Você gostou das sugestões ou acha que algo diferente poderia ter sido sugerido? Deixe seu comentário.

Fontes:

Postar um comentário